6 cartões de crédito sem spread (ágio) que você precisa ter na carteira

Se tem algo que os bancos têm medo que você descubra é sobre o spread. A imensa maioria dos bancos brasileiros não cita oficialmente qual é o spread cobrado nas transações internacionais com cartão de crédito. O motivo? Medo que o cliente pare de usar o cartão de crédito. Basicamente, spread é a diferença entre a taxa interbancária e a taxa cobrada pelas instituições financeiras, ou seja, a diferença entre o dólar turismo e comercial.

Eu vou citar 6 cartões, mas é claro que você não precisa de todos na carteira, afinal, basta um com spread zero para que você nunca mais sofra nas suas viagens internacionais. Há bancos que chegam a cobrar 7% de spread em todas as compras. É muito dinheiro, principalmente em época de dólar americano e euro supervalorizados.

Em outras palavras: posso afirmar que spread é a porcentagem que o banco deseja lucrar em cima da sua compra.

Os 6 melhores cartões de crédito

Com exceção do Itaú, onde o spread é zero apenas em um determinado cartão, nos outros bancos o spread é zero em todos os cartões.

As melhores opção são (isso não é um ranking):

  • Sicoob;
  • Unicred;
  • Uniprime;
  • Cresol;
  • Banese;
  • Itaú: zero de spread exclusivamente nos cartões Pão de Açúcar (PDA).

Como o PDA é o melhor cartão para acumular milhas aéreas, é a minha recomendação para as suas viagens.

1 cartão que é aceitável

Ele cobra apenas 1% de spread, que considero bom, e pode ser uma opção caso você não consiga os cartões que eu citei acima.

O cartão é:

  • Sicredi.

No passado, o Banco Inter fazia parte dessa lista, mas decidiu aumentar em 100% o valor do spread, de 1% para 2%.

E o IOF?

O IOF é um imposto do governo no valor de 6,38%. Você sempre pagará ao usar:

  • Cartão de crédito no exterior;
  • Cartão de débito no exterior.

Dica do Gabriel Dias

Tem muito golpe por aí prometendo aumento do score de crédito e liberação de qualquer cartão de crédito. Isso não existe. O que existe são estratégias para você conseguir cartões e conseguir aumentar os limites. Não é algo tão simples e geralmente também não é imediato. Por isso, no meu grupo de mentoria no WhatsApp, fixei o tempo mínimo de permanência em 3 meses. Considero esse o tempo mínimo ideal para você realizar um upgrade na sua carteira e entender as estratégias para acumular ao menos 1 milhão de milhas aéreas por ano.

Você pode se interessar

Deixe um comentário